roteiros

Dicas de Chicago: o que fazer, onde ficar, onde comer…

Tudo o que você precisa saber sobre a cidade do vento

Atualizado em:

Você sabia que Chicago e Nova York tem uma rixa antiga? Se há 1 ano me falassem pra escolher uma passagem pra Nova York ou Chicago, a escolha seria Nova York sem pensar duas vezes. Não tinha nenhuma informação sobre Dicas de Chicago, mas em Nova York já tinha todos aqueles pontos turísticos na cabeça!

Eu já estive 3 vezes em Nova York e amo a cidade. Mas após conhecer Chicago, em fevereiro de 2019, posso afirmar com toda convicção: Chicago é ainda mais legal que Nova York! E tem muito o que se fazer por lá! É uma Nova York, só que ainda melhor.

Porque viajar para Chicago?

Chicago é uma cidade cosmopolita como Nova York, porém mais vazia. É uma cidade cultural como Nova York, com museus importantíssimos e super interessantes. É uma cidade com ótima oferta de hotéis, como Nova York, porém mais baratos. É uma cidade com excelentes restaurantes, como Nova York, porém você não precisa ficar em longas filas de espera para conhecer o restaurante da moda e nem pagar mais pelo mesmo prato no mesmo restaurante. É uma cidade linda como Nova York, porém muito mais limpa e organizada, com uma história de superação e resiliência emocionante e com um encanto único de quem ainda não foi descoberto pela massa.

Embora eu esteja sem querer incentivando uma disputa entre as duas cidades, essa rixa entre elas já existe há muitos anos. Um jornal de Nova York publicou um artigo se referindo a Chicago como uma cidade com cidadãos de segunda classe. Isso acabou originando um apelido de Chicago, The Second City, criado pelos próprios moradores que, ao invés de rejeitarem a crítica, adotaram o apelido em tom de brincadeira, com a intenção de provar o contrário. Mais um ponto pra Chicago!

Já deu pra perceber que me apaixonei por Chicago, né? Vem comigo que você vai entender o porquê!

Dicas de Chicago inverno em Chicago

Chicago

 

Breve história de Chicago

A primeira expedição a chegar na área que hoje é Chicago foi Marquette e Jolliet, em 1673. O primeiro residente permanente de Chicago foi um comerciante chamado Jean Baptiste Point du Sable , um homem negro livre, do Haiti, que chegou lá no final da década de 1770.

A localização de Chicago era ideal para aproveitar as possibilidades comerciais criadas pela expansão da nação para o oeste. A cidade cresceu muito graças aos moradores que trabalharam duro para isso. Na década de 1850, eles levantaram ruas para instalar um sistema de esgoto e depois ergueram os edifícios.

Como era tudo feito de madeira, pouca coisa restou do Grande Incêndio de Chicago de 1871. Ainda não se sabe ao certo como o incêndio começou. Dizem que foi uma vaca que bateu na lâmpada de querosene de um estábulo dando início ao incidente, mas a seca, os ventos fortes e as construções de madeira contribuíram para que o fogo se alastrasse. O incêndio durou vários dias e destruiu grande parte da cidade, matou 250 pessoas e deixou 100 mil desabrigados. Mais de 17.000 edifícios foram destruídos e as propriedades danificadas foram estimadas em US $ 200 milhões.

O incêndio em Chicago chocou os Estados Unidos e várias pessoas e empresas enviaram doações de alimentos, roupas, móveis e etc.  Várias cidades também juntaram forças e enviaram dinheiro e outras coisas necessárias para reconstruir a cidade.

Apesar das terríveis consequências, Chicago foi rapidamente reconstruída.  Apenas 6 semanas após a tragédia, mais de 300 edifícios já tinham começado a ser reconstruídos. Grande parte do entulho foi despejado no Lago Michigan como um aterro sanitário, formando as fundações do que hoje é o Grant Park, o Millennium Park e o Art Institute of Chicago.

Após o incêndio, arquitetos famosos internacionalmente foram à cidade para reconstrução e Chicago ressurgiu como uma cidade moderna e vanguardista e em poucos anos foi escolhida como sede da Exposição Mundial Colombiana de 1893, que recebeu 2,5 milhões de visitantes.

Com os problemas sociais que cercaram a Primeira Guerra Mundial, muitos afro-americanos vieram dos estados do sul para se estabelecer em Chicago. E com eles nasceram as versões locais de blues e jazz.

Na década 30, a população de Chicago chegou a 3 milhões de habitantes e personagens como Al Capone e John Dillinger chegaram às manchetes dos jornais.

Após as guerras, entre 1950 e 1960, a população de Chicago começou a declinar pela primeira vez. Embora os imigrantes continuassem a chegar, as pessoas começaram a se mudar para os subúrbios. Ao mesmo tempo que novos bairros surgiram na cidade com moradia pública que resolveu parcialmente os problemas de pobreza e violência.

Em 2010, Chicago atingiu 2,7 milhões de habitantes, mas o conglomerado urbano conhecido como Chicagoland era de quase 10 milhões.

Ainda hoje os imigrantes continuam chegando na “The Second City” em busca de oportunidades. Chicago ainda é uma cidade dinâmica e culturalmente diversificada. Um centro internacional de negócios e um dos principais destinos turísticos dos Estados Unidos.

Dicas de Chicago: Quantos dias ficar?

Chicago é uma cidade repleta de atrações turísticas, para todos os gostos. As dicas de Chicago englobam muitos museus, parques, ótimos restaurantes, shows e festivais no verão e muitas outras atividades.
O tempo que você ficar por lá terá atividade para fazer. Por isso, recomendo pelo menos 5 dias. Eu fiquei apenas 3, e parti de lá com muita tristeza e com gostinho de quero mais.

Dicas de Chicago: Clima

Chicago tem estações bem definidas. Apesar disso, com tantas variações climáticas no mundo todo, a temperatura de Chicago pode oscilar. É importante estar preparado para surpresas!
O inverno em Chicago (de dezembro a fevereiro) faz frio rigoroso, com graus negativos e neve. Os dias são curtos e a sensação térmica pode chegar a -40°. Eu peguei -22° em janeiro e logo que voltei, em fevereiro, a temperatura caiu bruscamente, chegando a sensação de -45°. O dia é mais curto e venta bastante.
O verão em Chicago (de junho a agosto) é quente, a média é de 14° a 28°, mas o último verão atingiu 38°. Os dias são mais longos e é a melhor época para curtir os programas outdoor.
As meia-estações (Setembro-Outubro e Abril-Maio) tem climas mais amenos, podendo variar de 3° a 24°. Portanto, é sempre bom se vestir em camadas e ir tirando ou colocando peças conforme a necessidade. Essa é uma das dicas de Chicago mais importantes para quem visita a cidade no inverno, pois vai te poupar sofrimento com a baixa temperatura.

Dicas de Chicago inverno em Chicago neve em Chicago

Inverno rigoroso – Janeiro em Chicago

Dicas de Chicago: Quando ir?

Em cada época do ano você terá uma visão diferente da cidade.
O verão em Chicago é a alta temporada. A cidade fica mais cheia, mais cara, mas oferece muitas atividades ao ar livre. É a melhor época para curtir festivais, fazer picnic no Millennium Park, andar de bike, passear de parque,… A cidade fica alegre, musical, animada e colorida. Apesar disso, prepare-se para enfrentar muitas filas e pagar altos preços em hospedagem.

O Inverno em Chicago é intenso. Se você não tem resistência à baixas temperaturas, esqueça esse período. Foi a época que fui e me apaixonei. Por isso acho possível visitar Chicago nessa época. A paisagem fica linda e embora não dê pra curtir os programas ao ar livre, Chicago tem muitos museus incríveis, todos climatizados, além da pista de patinação perto do The Bean. Para aguentar as baixas temperaturas e atravessar a neve, basta usar roupas apropriadas com todas as camadas necessárias para aquecer o corpo e bota de neve adequada para aquecer os pés. Uma roupa errada pode acabar com sua experiência no Inverno de Chicago.

Primavera e Outono é para quem quer pegar a cidade mais vazia, porém sem as baixas temperaturas do inverno. Mas é bom ficar atento pois a variação térmica pode ser muito grande nesses meses. Dê preferência para os meses de abril, maio, setembro e outubro, quando a temperatura está mais estabilizada e as atrações que fecham no inverno estão abertas.

Todas as estações tem seus prós e contras. O Inverno talvez tenha mais contra do que prós. Então se puder escolher o mês da viagem, sugiro considerar a ordem: abril/maio ou setembro/outubro, seguido dos meses de alto verão e, por último, os meses de inverno. Mas se só puder no inverno, como eu, vá assim mesmo! Garanto que também vai amar (se estiver devidamente vestido para o frio 😛 )

O que fazer em Chicago?

Atrações de todos os tipos, para todos os gostos e todas as idades. Nesse post não vou detalhar a fundo cada um, mas sim dar algumas dicas de Chicago para mostrar as diversas possibilidades na cidade.

  • Millenium Park: um premiado centro de arte, música, arquitetura e paisagismo.
  • Cloud Gate (The Bean):  uma obra de arte pública que fica no Millenium Park. É um dos pontos turísticos mais emblemáticos de Chicago.
  • The Art of Institute:  um dos maiores e mais antigos museus de arte do país. O único museu do mundo a ser classificado entre os melhores do mundo pelo TripAdvisor quatro anos seguidos.
  • Museum of Science and Industry: é o maior museu de ciências do país! Lá é possível experimentar exposições interativas e navegar por um labirinto de espelhos; manipular um tornado de 40 pés; suba a bordo de um submarino alemão da Segunda Guerra Mundial, entre muitas outras coisas. É um museu bem legal, principalmente para crianças e adolescentes, mas eu fui e me diverti também.
  • Chicago Observation Decks: são dois os observatórios mais famosos de Chicago. O Skydeck Chicago, localizado no topo da Willis Tower, onde você encontrará uma atração cheia de adrenalina: The Ledge. Esta caixa de observação com piso de vidro leva você a 1.353 pés sobre a rua, oferecendo vistas incomparáveis. E o 360 CHICAGO (anteriormente chamado de Observatório John Hancock), de onde você tem uma vista 360 graus da cidade.

 

  • Compras na The Magnificent Mile: rua com aproximadamente 13 quarteirões, shoppings e uma infinidade de lojas de todos os tipos.
  • Navy Pier: um píer à beira do lago de Chicago. É um espaço enorme com parques, restaurantes, atrações, roda gigante, lojas, passeios e barcos, instalações para exposições e muito mais. No verão é uma região super vibrante e animada. No Inverno tem um visual lindo coberto de neve.
  • Shed Aquarium: não sou fã de aquários, mas como sei que viajantes com crianças curtem esse tipo de programa, incluí aqui como uma opção tradicional em Chicago. Eles tem uma coleção global diversificada de animais, cercada por uma bela arquitetura e, dizem (e eu espero que seja verdade), um compromisso com os avanços do século XXI em cuidados, ambientes e interpretação de animais.
  • Field Museum: um dos grandes museus de história natural do mundo. Suas exposições imersivas exploram desde culturas antigas até as mais recentes descobertas científicas, a partir de uma coleção de mais de 24 milhões de objetos.
  • Lincoln Park: parque no bairro de Streeterville, onde você encontrará um zoológico, um Teatro, Conservatório, canal de remo,  o Chicago History Museum, inúmeros campos de jogos, uma famosa estátua de Abraham Lincoln e muitas outras estátuas e atrações.
  • Loollapaloza Chicago: em Julho/Agosto, alto verão em Chicago, é quando geralmente acontece o famoso festival de música na cidade
  • Passeio de barco pela arquitetura de Chicago: um passeio super tradicional e recomendado na cidade (eu não fiz pois esse passeio não acontece no inverno 😥 )
  • Comer pipoca na Garrett Popcorn Shops
  • Provar a tradicional pizza de borda grossa de Chicago (Deep Dish Pizza)
  • Comer o famoso Portillo’s Hot Dogs
  • Experimentar vários Donuts
  • Fazer Tours alternativos
    Tour de Donuts (eu fiz esse tour e AMEI! É muito divertido e delicioso! O guia conta várias histórias da cidade, dos donuts e leva nas melhores lojas de Donuts de Chicago, onde você prova diversos sabores da rosquinha. Vou fazer um post específico pra esse passeio depois).
    Passeio de bike ao pôr do sol
    Tour Assombrado: conta a história de fantasmas, crimes e gângsters de Chicago. Já fiz um Ghost Tour desse tipo em Edimburgo e foi muito divertido!
    Tour de Arquitetônico e Subterrâneo: Esse tour te leva em vários edifícios históricos para ver a a arquitetura interna e em passagens subterrâneas desconhecidas. É um passeio legal para fazer no inverno.
    Tour gastronômico em Chinatown: passeio por Chinatown com direito a ouvir histórias do local e experimentar iguarias da culinária chinesa
    Excursão Secreta da Cerveja: Sabia que Chicago é a maior cidade em produção de cerveja artesanal dos EUA? Um passeio pelos pontos famosos da cerveja deve ser bem interessante pra quem curte cerveja artesanal. Além de toda história política e cultural que eles contam, você também vai provar várias cervejas!
    Tour de Helicóptero: Tour noturno pelos principais pontos de Chicago, para ver a cidade toda iluminada do alto.
    Tour com Chicago Greeter: É um tour gratuito que você agenda pelo site. O guia é algum morador da cidade que disponibiliza seu tempo gratuitamente para mostrar a cidade para visitantes. As visitas Greeter são personalizadas com base na sua escolha de bairros, idioma e interesses. São mais de 200 voluntários esperando para compartilhar sua experiência e paixão pela cidade. Eu fiz esse tour e, sério… simplesmente amei! Foi sensacional! Em breve escreverei um post exclusivo pois esse passeio merece. Quem quiser ver como foi, tem os vídeos no stories do Instagram Despachadas que fiz e deixei nos Destaques Chicago 2.Ainda tem muito mais coisas pra se fazer em Chicago, atrações mais alternativas e um pouco mais distante da área mais turística, mas essa listinha já dá pra você curtir muito a cidade e conhecer as principais atrações.

 

Vale a pena comprar o Chicago City Pass? Com o Chicago City Pass você tem entrada gratuita para várias dessas atrações! E em alguns deles ainda tem uma fila especial. Perfeito para o verão, quando as filas são enormes! Veja o post detalhado sobre a minha experiência usando o Chicago City Pass.

Dicas de Chicago: Como se locomover?

Chicago tem uma rede de ônibus e metrô eficiente. Mas a melhor forma de se locomover é caminhando. Use o metrô ou taxi/uber apenas para distâncias maiores.

Sistema de ruas de Chicago

As ruas de Chicago estão organizadas em um sistema de grade. A Madison Street divide a cidade ao norte e ao sul, enquanto a State Street a divide a leste e a oeste. O cruzamento entre State e Madison, no centro de Chicago, marca o ponto de partida do sistema de grade de Chicago. Os endereços são relativos à distância deste ponto, com oito quarteirões a cada milha. Portanto, um endereço da 1500 N. Clark St. significa que fica a 15 quarteirões ao norte da Madison Street. Deu pra entender?

Chicago Transit Authority (CTA)

É o segundo maior sistema de transporte público do país.  Duas linhas operam 24 horas por dia, 7 dias por semana: a Linha Azul, que conecta o Aeroporto Internacional O’Hare de Chicago e o centro da cidade, e a Linha Vermelha, com serviço entre os lados norte e sul do centro. As rotas convenientes de ônibus do CTA viajam por toda a cidade, com muitos pontos de paradas,  Várias linhas oferecem o serviço Night Owl, funcionando até as 2 da manhã ou mais tarde.

Metra Rail

Trem  de alta velocidade Metra conecta subúrbios periféricos ao centro de Chicago e é uma maneira rápida e fácil de viajar para o coração da cidade.

Táxis

Além de chamar táxis por toda a cidade, você pode usar os apps Arro e Curb. Cartões de crédito são aceitos em todos os táxis.

Apps de carona

Em Chicago o uso do  Lyft ou Uber é autorizado e regulamentado.

Bikes

Chicago é uma cidade feita para andar de bicicleta. Existem mais de 200 milhas de ciclovias por toda a cidade. O Divvy, programa de compartilhamento de bicicletas de Chicago, oferece mais de 580 estações e 5.800 motos em toda a cidade, disponíveis para aluguel 24/7. Os usuários podem pegar uma bicicleta em uma estação e a devolvem em alguma estação próxima ao seu destino.

Onde se hospedar em Chicago?

As melhores regiões para se hospedar para quem visita Chicago pela primeira vez são: Magnificent Mile, River North e Chicago Loop. É onde se concentram as principais atrações da cidade.

Nós ficamos no Found Hotel River North, um hotel super novo e charmoso e com excelente custo benefício, considerando outras opções na mesma região. A decoração do hotel é uma graça, meio retrô. Não tinha café da manhã, mas a oferta de lugares para comer nos arredores é enorme. Ficamos em um quarto duplo, que tinha uma beliche. Mas existem quartos de vários formatos. Tivemos um pequeno problema no quarto, mas acredito que tenha sido pontual, naquele quarto especificamente, por conta do frio que fez quando estava lá (-22). Tinha uma porta de ferro que dava pra uma área comum do prédio, e essa porta ficava muito gelada, e o aquecedor não dava conta de aquecer tudo, então fiquei com um pouco de frio à noite. Mas os outros quartos não tem a porta, então acredito que  isso não é um problema geral. Mesmo com esse imprevisto, eu recomendo o hotel para quem quer um lugar bonito, confortável e com ótimo custo x benefício.

Dicas de hotel: Found Hotel em Chicago

Found Hotel

 

Found Hotel Chicago

 

Para quem prefere ficar em um lugar mais luxuoso, e não se importa em gastar um pouco mais pelo conforto, recomendo muito o Trump International Hotel & Tower Chicago. Fomos convidadas para conhecer o hotel e toda sua estrutura e só posso dizer que é um dos hotéis mais incríveis que já conheci!
Tomamos um café da manhã super especial lá, no restaurante Terrace 16, que tem uma vista incrível, e depois fomos conhecer os quartos e as dependências do hotel.
É mais um tópico que merece um post exclusivo (e eu farei em breve), mas aqui vou sintetizar o porquê desse hotel ser tão incrível:
Primeiro lugar a localização é perfeita, bem de frente pro Canal. O atendimento da equipe é impecável. Os quartos são um luxo, estrutura incrível, quartos grandes, confortáveis, tratamento personalizado, banheiro excepcional e alguns quartos contam com a melhor vista da cidade! Os restaurantes do hotel são ótimos, tem um rooftop super badalado no verão e a estrutura de spa, piscina e academia é espetacular.
Vocês, que acompanham o blog,  sabem que eu elogio o que gosto, mas não faço nenhuma cerimônia pra criticar algo que não gosto. Mas aqui, sinceramente, difícil achar um defeito. Com certeza na minha próxima visita a Chicago será minha primeira opção!

"<yoastmark

 

"<yoastmark

 

::Busque no mapa abaixo outras opções de hospedagem em Chicago.



Booking.com

Dicas de Chicago: Onde comer e beber?

Deep Dish Pizza do Giordano`s

 

 

Dicas de Chicago Portillo`s Hotdog

Portillo`s Hotdog

 

 

:: Mapa marcado com todos os pontos que citei no post

 

Acho que esse Guia Completo com Dicas de Chicago é um ótimo direcionamento para sua viagem! Espero que você curta tanto essa cidade quanto eu! Em breve teremos mais artigos exclusivos sobre Chicago aqui no blog! 🙂


Está sem tempo para pesquisar e montar a sua viagem? Entre em contato, que preparamos um Roteiro Personalizado pra você!

 RESERVE SUA VIAGEM USANDO NOSSOS LINKS PARCEIROS E AJUDE O BLOG 

Onde dormirReserve sua hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura, com opção de cancelamento gratuito e sem pagamento antecipado!

Onde alugar carroPrecisa alugar um carro? Na RentCars  a cobrança é feita em reais, sem IOF e em até 12x sem juros no cartão ou com 5% de desconto no boleto.

Onde comprar ingressosGaranta sua entrada antecipada nas atrações e evite filas! O TicketBar oferece ingressos para as atrações, tours, passeios de bike, barcos e muitas outras opções! 

Seguro viagemE não esqueça do seguro viagem. Na  Seguros Promo o pagamento pode ser  em até 6x sem juros no cartão ou com desconto de 5% no boleto. 

Ao reservar com um parceiro através dos nossos links recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado com novas dicas de viagem. Obrigada! =)

por Marianne Rangel

Meio carioca, meio niteroiense, é apaixonada por viagens, mapas e pôr do sol. Jornalista de formação, largou seu emprego estável onde trabalhava para viajar, e foi viver a vida incerta de travel blogger. Hoje viaja para trabalhar, e é muito mais feliz!

7 Comentários

Leandro

Muito obrigado pela resposta, fiquei mais motivado em conhecer Chicago, acho que vamos comprar a roupa apropriada e encarar kkk.
Feliz ano novo!!!

responder
Leandro Leite

Olá, parabéns pelo blog, realmente está bem completo.
Estou pensando em ir para Chicago em mar/20 e de lá para Orlando, mas como meu filho ainda é criança, estamos com receio de pegarmos muito frio e não aproveitarmos a cidade (além do risco dele pegar uma gripe e estragar a Disney kkk).
Sabe me dizer se em março o frio costuma ser intenso? Acha que vale a pena ou deixamos Chicago para outra oportunidade?
Obrigado.

responder
Marianne Rangel

Oi Leandro! Obrigada pela visita! Fico feliz que tenha gostado!
O tempo está cada vez mais imprevisível, mas geralmente março ainda costuma estar frio sim.
Tem muitas atividades indoor pra curtir em Chicago, e se tiver devidamente vestido, com roupas apropriadas, é tranquilo lidar com o frio. Mas o risco de pegar uma gripe existe, pois a mudança brusca de temperatura do Brasil pra Chicago pode causar isso. Neste caso, apesar de eu achar que Chicago vale a pena sempre, talvez seja melhor deixar para uma outra oportunidade, ou então fazer Chicago depois de Orlando.

responder
Isabel Costa

gostei do seu resumo de Chicago!
vou voltar quando visitar a cidade

Obrigado

responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.